Bem-vindos ao blog da REA

Caros(as),

este é o blog da Revista Espaço Acadêmico.

É um espaço aberto à colaboração dos autores que publicaram (e publicarão) na REA. É um espaço de diálogo crítico, sugestões e contribuições sobre os temas pertinentes à revista. O objetivo é estreitar ainda mais os vínculos entre os autores (colunistas e colaboradores) e destes com os nossos leitores. O objetivo é que a nossa participação neste projeto se dê de forma mais presente, para além da publicação na revista.

Aqui você pode comentar os artigos publicados, sugerir temas e escrever sobre questões relacionadas à revista.

Se você é autor da REA e deseja participar como colaborador, envie email para antoniozai@gmail.com

A REA completou 100 edições, em seu IX ano, e pode ser acessada nos seguintes sites:

http://www.espacoacademico.com.br

http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/index

muito obrigado.

Atenciosamente,

Antonio Ozaí da Silva [editor]

Anúncios

15 comentários sobre “Bem-vindos ao blog da REA

  1. […] Bem-vindos ao blog da REA (via blog da Revista Espaço Acadêmico) Publicado em 25/08/2010 por anafabia Caros(as), este é o blog da Revista Espaço Acadêmico. É um espaço aberto à colaboração dos autores que publicaram (e publicarão) na REA. É um espaço de diálogo crítico, sugestões e contribuições sobre os temas pertinentes à revista. O objetivo é estreitar ainda mais os vínculos entre os autores (colunistas e colaboradores) e destes com os nossos leitores. O objetivo é que a nossa participação neste projeto se dê de forma mais presente, para além … Read More […]

  2. Caro Ozaí,
    Saudações cordiais!

    Revejo nossas mensagens trocadas em maio deste ano, que tocam exatamente o tema que você retoma em seu artigo da REA 100 e, invariavelmente, extasio-me. Efetivamente, o modelo norte-americano de avaliar mérito institucional, completamente numerocêntrico e indiferente à dimensão humana da recepção, depois de cumpridas as metas de produção, apenas demonstra o quanto desperdiçamos tempo qualitativo enquanto, conformisticamente, nos “qualisficamos”.
    Será que os critérios da área tecnológica medem alguma coisa das ciências humanas? Será que os critérios da área de humana estão sendo suficientemente críticos para pensar na dimensão social da produtividade tecnológica? Enfim, como medir a recepção?

    Se não há respostas fáceis para isso, tampouco devemos esquecer de fazer tais perguntas, particularmente num universo acadêmico em que se espera a auto-reflexão crítica. Nossos “sistemas-perito” atuais não devem ser questionados? Quem joga bem o jogo deveria olhar com alguma solidariedade para os “jogadores falhos”. Mas o que é ser “falho”?

    Conheço pessoas brilhantes que não escrevem uma linha, mas que sustentam aulas maravilhosas, densas, sensíveis e muitos mais profundas que muitos artigos tayloristas que andam circulando para meia-dúzia de pares ‘qualisficados’. Por que a atuação em sala de aula, nos laboratórios ou na extensão não tem um peso igual ou maior que a publicação em qualis A nacional e internacional? O qualis de um periódico assegura efetivamente a qualidade ou relevância do que está sendo publicado?

    Há uma pós-graduação no Rio de Janeiro que pressiona os alunos a publicarem em revistas especializadas com qualis A nacional e internacional, durante três anos, para suprimi-los da obrigação de escrever a tese. Isso não é paradoxal? A instituição suprime seus professores da obrigação de avaliar os alunos que estão formando, entregando tal responsabilidade para uma instituição externa que, supostamente, compartilha a sua especialização, mas não financiou nem orientou os trabalhos…

    Veja o meu caso. A minha tese foi defendida numa sessão de quatro horas e vinte minutos, sendo aprovada com louvor e indicada para publicação. Hoje, mesmo sem meu consentimento, está no sítio “Domínio Público”, com várias deturpações digitais. Número de acesso? Bem, até hoje, um ano e meio depois, não bateu cem. No entanto, escrevi um artigo de uma página sobre Lutero, sem nenhuma originalidade, como estudo introdutório às suas “95 Teses”. Número de acesso na REA? Entre março de 2004 e maio de 2007, 3.182 acessos. Além disso, em função deste texto, tenho recebido, em cinco anos, dezenas de e-mails de pessoas dos mais diversos tipos, com as mais variadas demandas.

    Por outro lado, quantas mensagens recebi em função de minha tese, mesmo sendo divulgada entre meus “pares”? Nenhuma, nem para dizer que discordam das hipóteses principais e do método utilizado. Ora, considerando a recepção, qual dos textos tem mais relevância?

    Tudo isso apenas nos serve para pensar em critérios mais variados, que possam se entrecruzar, para definir mérito ou relevância de um profissional – e, principalmente, que este não seja, nos termos de Said, tão “profissional” assim.

    Um abraço e tudo de bom,

    Alexander
    19-09-2009

  3. Olá Ozaí,

    Ficou muito bom o blog da REA e do Café História!

    Deixei um comentário no blog REA .

    Como sugestão: talvez seria agradavel ter um recurso para aumentar as letras do texto.

    Abraços!

  4. PaRaBéNs Professor Ozaí,
    pelo seu belíssimo trabalho!
    De fato a Revista me possibilita estar informada nos diferentes assuntos academicos, políticos, sociais, etc, que aqui são abordados e refletidos. Grande abraço com fraternura,
    Profª Maria Auxilaidora- SP

  5. Meu abraço, Professor Ozaí.
    Esperamos que a Revista tenha vida longa
    100… e mais muitos zeros a direita,
    pois tem sido interessante e útil a leitura..
    Feliz divulgadora da Revista e do Blog,
    fraternalmente,
    jorn.Neide Pessoa

  6. Parabéns

    Prof. Dr. Antonio Ozaí pela 100 edição da REA.

    Sou Moçambicano, gostou de ler os temas interessante que a revista lança a comunidade estudatil e academica no geral.

    Gostaria de compartilhar com artigos totalmente moçambicano.

    Abraço
    Joaquim Miranda Maloa

  7. Saudações Revolucionárias;

    SOCIEDADE BRASILEIRA LATINOAMERICANA; algumas melhor dizendo, muitas pessoas se perguntam – Quando o gigante adormecido despertará??? Só uma guerra civil dará jeito nesses CORRUPTOS D MERDA (empresários/partidaristas)!!!
    Pois, muito bem, eu, vos respondo… NÓS!!! SOMOS A REVOLUCION, LATINOAMERICANA!!!
    E, A GESTÃO DO PLOLETARIADO É NOSSA BÚSSULA E GUIA D ORIENTAÇÃO PARA NOSSA INDEPENDÊNCIA OU; SUBMISSÃO À ECONOMIA HEREDITÁRIA: feudal; monárquica; presidencial…
    O Q É SELEÇÃO NATURAL??? BEM, EM NOSSA ESPÉCIME DOMINANTE, “civilizada”, DEVERÍA-SE TER OS MAIS APTOS OCUPANDO NOSSOS CARGOS IMPORTANTES D NOSSA SOCIEDADE, HOJE, DIVIDA ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO; PARTIDARISTAS D ESQUERDA E DIREITA, TODOS INCOMPETENTES NO SERVIR NOSSA SOCIEDADE… Entretanto, muito competentes nos seus privados interesses secretos, oclusos e ocultos da sociedade…
    SI, TEMOS “lideranças” agradecendo os avanços inexpressivos conquistados, por estes, é porque A SELEÇÃO NATURAL D NOSSA SOCIEDADE Ñ ESTA SENDO EXECUTADA COM DEMOCRACIA… ESTA INGANOCRACIA BURGUESA CHEGOU NO SEU SUBPRIME!!!
    É HORA DO PROLETARIADO!!!
    ASSUMIR A GESTÃO DA SOCIEDADE Q LHE É D DIREITO DEMOCRATICO POR MAIORIA, EXECUTANDO OS PROJETOS DA MAIORIA EM PRÁTICA, ISTO É: DEMOCRACIA…
    OS BRANCOS EUROPEUS INVADIRAM E MATARAM OS ÍNDIOS DONOS D NOSSA TERRA E, SE INTITULARAM DONOS…
    OS NEGROS AFRICANOS, ESCRAVIZADOS, TRABALHARAM E CONSTRUIRAM RIQUEZAS CULTURAIS E MATERIAS EM NOSSA TERRA…
    NÓS, DESCENDENTES CONSCIENTES D NOSSA ORIGEM E RIQUEZAS, SOMOS OS LEGÍTIMOS GESTORES D NOSSA TERRA!!!
    TODAS AS EMPRESAS PÚBLICAS E PRIVADAS SÃO D GESTÃO DO PROLETARIADO!!!
    E; os corruptos empresários e partidaristas (esquerda & direita) são passivos destas nossas finalizações…

    “Ñ DAREMOS PAZ AOS CORRUPTOS!!!”
    “É PRECISO: MORTE AOS CORRUPTOS COM CAPTAÇÃO DOS ÓRGÃOS PARA DOAÇÃO!!!”
    “DEMOCRACIA DIRETA É GESTÃO DO PROLETARIADO!!!”
    “VIVA LA REVOLUCION LATINOAMERICANA, SEMPRE E SIEMPRE!!!”

  8. Antonio, Parabéns! A revista está cada vez melhor. Cumprimento você pelo esforço em manter a periodicidade com excelentes artigos.
    Um forte abraço.

  9. PARABENS!
    FAZER 100 EDIÇÕES DE UMA REVISTA ACADÊMICA É UM MARCO.
    VALE PELOS ARTIGOS SEMPRE MUITO OPORTUNOS.
    AGUARDO PELA 1000 EDIÇÃO.

  10. Olá Ozaí
    Parabéns, esta revista tem sido de grande importância .Êstudo Ciências Sociais e recorro sempre aos artigos para ampliar minha visão de mundo.
    Mais cem.
    Tenho divulgado com colegas e amigos .
    Grande abraço e obrigada

  11. Parabéns Antonio Ozaí pela 100 edição da REA. Receber a revista acadêmica é de grande importância,pois como acadêmica do Serviço Social aproveito bastante suas matérias.

  12. Parabens ao Antonio Ozaí pela nova iniciativa, que abre um espaço mais ágil de comunicação entre os “fabricantes” da revista — a começar pelo próprio Ozai, nosso editor único e insubstituível — e seus muitos leitores.
    Sugiro a inclusão de um contador geografico de visitas, para saber quantas pessoas, de quais países, estão acessando o blog. Aliás, isso deveria existir também no velho site da revista, pois suponho que no novo isso não é permitidio.
    Em todo caso, meus cumprimentos mais um vez, parabéns ao editor e longa vida ao Blog da REA.
    Paulo Roberto de Almeida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s