NOTA DE MORTE ANUNCIADA

A história se repete!

Novamente, choramos e revoltamo-nos:

Direitos Humanos e Justiça são para quem neste país?

José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo da Silva

Hoje, 24 de maio de 2011, foram assassinados nossos companheiros, José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo da Silva, assentados no Projeto Agroextrativista Praialta-Piranheira, em Nova Ipixuna – PA. Os dois foram emboscados no meio da estrada por pistoleiros, executados com tiros na cabeça, tendo Zé Claúdio a orelha decepada e levada pelos seus assassinos provavelmente como prova do “serviço realizado”.

Camponeses e líderes dos assentados do Projeto Agroextratista, Zé Cláudio e Maria do Espírito Santo (estudante do Curso de Pedagogia do Campo UFPA/FETAGRI/PRONERA), foram o exemplo daquilo que defendiam como projeto coletivo de vida digna e integrada à biodiversidade presente na floresta. Integrantes do Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS), ONG fundada por Chico Mendes, os dois viviam e produziam de forma sustentável no lote de aproximadamente 20 hectares, onde 80% era de floresta preservada. Com a floresta se relacionavam e sobreviviam do extrativismo de óleos, castanhas e frutos de plantas nativas, como cupuaçu e açaí. No projeto de assentamento vive aproximadamente 500 famílias.

A denúncia das ameaças de morte de que eram alvo há anos alcançaram o Estado Brasileiro e a sociedade internacional. Elas apontavam seus algozes: madeireiros e carvoeiros, predadores da natureza na Amazônia. Nem por isso, houve proteção de suas vidas e da floresta, razão das lutas de José Cláudio e Maria contra a ação criminosa de exploradores capitalistas na reserva agroextrativista.

Tamanha nossa tristeza! Desmedida nossa revolta! A história se repete! Novamente camponeses que defendem a vida e a construção de uma sociedade mais humana e digna são assassinados covardemente a mando daqueles a quem só importa o lucro: MADEREIROS e FAZENDEIROS QUE DEVASTAM A AMAZÔNIA.

ATÉ QUANDO?

Não bastasse a ameaça ser um martírio a torturar aos poucos mentes e corações revolucionários, ainda temos de presenciar sua concretude brutal?

Não bastasse tanto sangue escorrendo pelas mãos de todos que não se incomodam com a situação que vivemos, ainda precisamos ouvir as autoridades tratando como se o aqui fosse distante?

Não bastasse que nossos homens e mulheres de fibra fossem vistos com restrição, ainda continuaremos abrindo nossas portas para que os corruptos sejam nossos lideres?

Não bastasse tanta dificuldade de fazer acontecer outro projeto de sociedade, ainda assim temos que conviver com a desconfiança de que ele não existe?

Não bastasse que a natureza fosse transformada em recurso, a vida tinha também que ser reduzida a um valor tão ínfimo?

Não bastasse a morte orbitar nosso cotidiano como uma banalidade, ainda temos que conviver com a barbárie?

Mediante a recorrente impunidade nos casos de assassinatos das lideranças camponesas e a não investigação e punição dos crimes praticados pelos grupos econômicos que devastam a Amazônia,RESPONSABILIZAMOS O ESTADO BRASILEIRO – Presidência da República, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente, Polícia Federal, Ministério Público Federal – E COBRAMOS JUSTIÇA!

ESTAMOS EM VÍGILIA!!!

“Aos nossos mortos nenhum minuto de silêncio. Mas toda uma vida de lutas.”

Marabá-PA, 24 de Maio de 2011.

 

  • Universidade Federal do Pará/ Coordenação do Campus de Marabá; Curso de Pedagogia do Campo UFPA/FETAGRI/PRONERA; Curso de Licenciatura Plena em Educação do Campo;
  • Movimento dos Trabalhadores Sem Terra – MST/ Pará;
  • Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura – FETAGRI/Sudeste do Pará;
  • Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar – FETRAF/ Pará;
  • Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB;
  • Comissão Pastoral da Terra – CPT Marabá;
  • Via Campesina – Pará;
  • Fórum Regional de Educação do Campo do Sul e Sudeste do Pará.
Anúncios

13 comentários sobre “NOTA DE MORTE ANUNCIADA

  1. E ninguém faz nada?
    Faz parte da tradição histórica de nosso país, dito “descoberto” , no entanto “renascido” como fonte de abastecimento para uma metrópole, maldições como estas, arraigadas em políticas que favorecem os interesses de algozes brutais.Capitalismo sanguinário…

  2. Eu só peço a Deus
    Mercedes Sosa

    Eu só peço a Deus
    Que a dor não me seja indiferente
    Que a morte não me encontre um dia
    Solitário sem ter feito o q’eu queria

    Eu só peço a Deus
    Que a dor não me seja indiferente
    Que a morte não me encontre um dia
    Solitário sem ter feito o que eu queria

    Eu só peço a Deus
    Que a injustiça não me seja indiferente
    Pois não posso dar a outra face
    Se já fui machucada brutalmente

    Eu só peço a Deus
    Que a guerra não me seja indiferente
    É um monstro grande e pisa forte
    Toda fome e inocência dessa gente

    Eu só peço a Deus
    Que a mentira não me seja indiferente
    Se um só traidor tem mais poder que um povo
    Que este povo não esqueça facilmente

    Eu só peço a Deus
    Que o futuro não me seja indiferente
    Sem ter que fugir desenganando
    Pra viver uma cultura diferente.

    Essa bela canção em letra e melodia nos fazem refletir um pouco em relação as pessoas que deveriam agir e tomar uma providência e não o fazem. Até quando pessoas e mais pessoas vão ter que perder suas vidas por causas nobres???? Até quando a impunidade vai perdurar????? Até quando ficarão indiferentes a dor e a morte???? O sentimento é de impotência, desemparo e solidação como tão bem canta Mercedes, vale a pena ouvir esse hino de ruptura e protesto!!!!

  3. Quando Chico Mendes foi assassinado os da esquerda, principalmente petistas, ficaram em polvorosa. Hoje, O ex-partido da ética – que nunca foi, só vociferava – age igualmente ou, até mesmo, pior do que os outros. Onde está Lula? Como sempre fez: viajando. Ou seja, igualzinho a tantos outros.

  4. venho eu também, mais uma pessoa comum que se desola dessa repetiçao interminavel da nossa barbarie nacional.
    aos que os conheceram de perto, aos companheiros que se desolam de sua ausencia, minha solidariedade, e meus pêsamos a todos nos que perdemos pessoas que tentavam preservar o que temos de realmente grande e digno.

  5. Estou profundamente triste com a morte de dois Brasileiros, cidadãos de bem, que lutou por uma causa coletiva. Estou profundamente com tanta violência que ceifa vidas, em nome da ganância, do lucro e da omissão do Estado.
    Não dá apenas para lamentar, precisamos fazer alguma coisa!!!

  6. O Opressor e o Oprimido!Mais uma vez a história se repete a homens e mulheres que convivem em seus ideais pela busca de justiça,igualdade,luta nos movimentos sociais!Poucos são aqueles que se arriscam suas vidas em questões como essa,e poucos sobrevivem para contar suas histórias de luta!
    É preciso refletir..A Amazônia com encantos naturais,esconde a barbárie de assassinatos,crueldades,grilagem de terras.Infelizmente, a atuação do governo é silenciar essas tragédias.
    Como cidadã,estudante,peço e ainda tenho esperanças que a justiça seja realizada!

  7. Chico Mendes, denunciava a intensidade e o ritmo com que a floresta estava sendo desmatada.

    Um das demonstrações de sua luta foi em março de 1987, quando Chico fez um discurso cheio de denúncias na reunião do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em Miami (EUA). Pediu a suspensão do financiamento do organismo para o prosseguimento da construção da BR-364, que cortava o estado de Rondônia e se estenderia até o Acre.

    O objetivo do governo, na época, era criar uma saída para o Pacífico, a fim de escoar a produção gerada nos estados amazônicos e no Centro-Oeste pelos portos do Peru. Chico sabia que a estrada tinha provocado danos significativos para os seringueiros de Rondônia, em razão do desmatamento e das queimadas provocadas pelos fazendeiros. Com o apelo, o BID suspendeu o financiamento para a expansão da BR-364 e passou a exigir do governo brasileiro estudos de impacto ambiental na Amazônia.

    Além do BID, o Senado dos Estados Unidos, onde o seringueiro também foi convidado a falar, fez recomendações a diversos bancos que patrocinavam projetos desenvolvimentistas na região. Alertou-os de abusos ao meio ambiente como os ocorridos em Rondônia.

    Outro episódio fez crescer a ira dos fazendeiros acreanos contra Mendes: o reconhecimento ao seu trabalho, pela Organização das Nações Unidas.

    Em 1987, a ONU conferiu a ele o Prêmio Global 500, de preservação ambiental. Chico Mendes foi o único brasileiro, até hoje, a conquistar este título.

    Este assassinato criminoso calou a boca do brasileiro dígno que defendia nossas florestas seguiran-se outros crimes de morte, agora Maria do Espírito Santo e João Claudio, TODOS ASSASSINADOS PELOS MESMOS MOTIVOS, A PRESERVAÇÃO DA FLORESTA AMAZÔNICA, Aonde está o Ministério Público, que não protege o cidadão brasileiro assim como os direitos da cidadania?

  8. bom. Segue o coronelismo, patrocinado pelos Mandatários da Capitania do Grão-Pará, aquele mesmo com sobrenome parecido com adjetivo pejorativo ao membro sexual masculino. Enriquece, mata, detém o poder total em sua capitania…
    E os meios de comunicação tradicionais, alimentados pelas polpudas verbas publicitárias destes senhores (tchurma do Maranhão, Alagoas, Sergipe, Ceará) dão como “fato menor” este processo similar ao que o sr. Stalin e o Sr. Bush fizeram na Rússia e no Iraque. O dinheiro está acima das vidas. Mas um ponto é importante. Por mais poder que detenham, não conseguiram calar as vozes e impedir este meio de esclarecimento. Já há resultados referentes à manifestações contrárias na Web. Não se calem, denunciem, e pratiquemos o exercício de DAR NOME AOS BOIS, e depois IMOLÁ-LOS NAS URNAS. Não se vendam por tijolos, cestas básicas etc. Estas “benesses” é que perpetuam o poder destas Víboras Parasitas.

  9. Olá

    É um absurdo, até quando ficaremos assistindo essa babárie? O que podemos fazer para cobrar ações efetivas do nosso Estado Democrático de Direito? Várias mortes ocorrem nesse Estado e nada é feito, os assasinos estão muito bem obrigada!
    Eliana Yong Medeiros

  10. Caros colegas, muito nos orgulha a dedicação e determinação das pessoas que lutam pelas causas indispensáveis a espécie humana, a exemplo da preservação a natureza. Infelizmente, a vida dessas pessoas parece não ter importância para o Estado, isto, é o que nos dá a entender frente a banalização da vida dessas pessoas comprometidas pelas causas do todo, responsabilidade maior do Estado. O Estado não cumpre o seu papel mínimo que é proteger o cidadão de si mesmo e dos demais; necessidades que já foram observadas pelos naturalista, entre eles Locke e Hobbes. O CONTRATO SOCIAL, sendo ele um consenso ou uma imposição surgiu mediante a necessidade de impedimento de um caos, ou estado de guerra, já que o homem sem esse poder externo a ele (o Estado), seria lobo de si mesmo como observa Hobbes. Vivemos num Estado de Natureza disfarçado?

  11. Só posso exprimir minhas condolencias por tão triste ocorrencia e concordar com a responsabilização do Estado Brasileiro e pela exigencia de que tal crime não continue impune.

  12. Incrível, como ainda acontece isso no Brasil, que vive sob a jurisdição de um partido que se diz tão “vinculado” aos anseios da Terra…ao povo e outras balelas demagógicas…
    Esse assunto já vem sendo falado há muito pela Pastoral da Terra…triste Brasil…

    Quando será que realmente teremos mudanças mesmo nesse pobre, sofrido, espoliado e sacaneado Brasil?

    É assim que chegaremos ao Primeiro Mundo? Com pistoleiros e grileiros de toda espécie…

    O governo e seus ministros fantoches estarão tomando as devidas ações como dizem…por que ainda não tomaram? Estavam esperando o que?

    Muito triste, muito triste mesmo!

  13. O Comitê Chico Mendes é uma articulação criada na noite do assassinato de chico. Gostaríamos que todos divulgassem esta nota.
    Agradecemos antecipamente.

    MAIS SANGUE DERRAMADO PELA AMAZÔNIA.
    URGE PARAR ESSA SANGRIA!

    O COMITÊ CHICO MENDES, consternado com os assassinatos dos companheiros Maria do Espírito Santo e João Cláudio Ribeiro da Silva, membros do Conselho Nacional de Seringueiros, mortos no ultimo dia 24, em Nova Ipixuna, no Estado do Pará e de Adelino Ramos, em Vista Alegre do Abunã, no Estado de Rondônia, ao tempo em que expressa sua profunda solidariedade aos familiares, amigos e companheiros/as dos que foram, mais uma vez, covardemente assassinados pela mesma mão criminosa que matou CHICO MENDES há mais de 22 anos, em Xapuri, EXIGE que o GOVERNO BRASILEIRO tome imediata providência, no sentido de APURAR CABALMENTE OS CRIMES E PUNIR OS ASSASSINOS, como forma de se evitar mais derramamento de sangue daqueles que LUTAM PELA AMAZÔNIA, PELO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, PELO DIREITO À VIDA E AO FUTURO.
    É descabido que em já na segunda década do século XXI, pessoas que lutam pelo meio ambiente, pelo direito a um desenvolvimento com respeito ao meio ambiente, onde se produza ao mesmo tempo em que se conserve os recursos naturais, continuem sendo bárbara e COVARDEMENTE ASSASSINADOS e, pior, SEM QUE HAJA QUALQUER AÇÃO EFETIVA seja dos Governos Estaduais do Pará – Estado que já perdeu TOTALMENTE O CONTROLE DO SEU PRÓPRIO TERRITÓRIO, para um “GOVERNO PARALELO” comandado por grupos econômicos e seus pistoleiros/sicários que têm o total controle de amplos territórios, onde não existe qualquer presença do Estado – seja do AMAZONAS, que por sua enorme distância, está TOTALMENTE AUSENTE da área conflituosa localizada no sul de Lábrea, município com cerca de 67 mil quilômetros quadrados, onde a sede está localizada a cerca de 500 km, em linha reta, da área de conflito, próxima (10 km) ao Estado de Rondônia, sendo que este Estado não pode entrar naquele porque NÃO HÁ UM PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE OS ESTADOS, onde a “soberania” de um Estado não permite que outro possa agir, nem que seja para colaborar ao coibir crimes.
    Há uma atuação compartimentada entre os próprios órgãos federais, onde o INCRA, por sua Superintendência do Acre não pode agir na área do sul de Lábrea, porque esta pertence ao Estado do Amazonas, embora esteja a cerca de 140 km de Rio Branco e a mais de 2000 km de Manaus!
    A violência absurda, alimentada pela IMPUNIDADE, não pode continuar. URGE ESTANCAR A SANGRIA (LITERAL, INFELIZMENTE!) da/na AMAZÔNIA.
    CHEGA DE OMISSÃO! DESMATAMENTO ZERO! DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL!

    Rio Branco – AC, 27 de maio de 2011

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s