Quem é por Dilma, quem é por Aécio

ELOÉSIO PAULO*

Mostruário de banca de revistas em Alfenas, MG (12/10/2014)
Mostruário de banca de revistas em Alfenas, MG (12/10/2014)

A componente religiosa da ideologia dominante no Brasil, que há uns 30 anos vem transitando de católica a pentecostal – de par com nossa imitação do modelo norte-americano de representar o mundo, nuclearmente consumista e avesso à reflexão –, produz uma indesejável impregnação moralista da política. O eleitor brasileiro procura um santo para votar, especialmente quando se trata de preencher cargos no Executivo. É por isso que nas campanhas eleitorais majoritárias se tornam comuns ataques à honra pessoal dos candidatos, em especial a daqueles que já tiveram a oportunidade de, exercendo algum poder político, instalar sobre a própria biografia algum telhado de vidro.

Mas desde que Maquiavel publicou O príncipe, no longínquo século XVI, qualquer pessoa medianamente informada sabe que não pode existir santidade na política. O que está em jogo são interesses materiais e ideológicos bem concretos, sendo os últimos, em grande medida, subproduto dos primeiros.

Não existe santo na política. Se há pessoas decentes que militam politicamente, a decência encontra seu limite no próprio funcionamento do sistema representativo. No sistema brasileiro, esse Frankenstein presidencialista onde o Congresso tem (e o exerce com vontade) enorme poder de barganha, o limite se estreita ainda mais. Nenhum presidente da República, desde a redemocratização, deixou de ser chantageado pelos grupos de pressão no Congresso. Ou enxovalhado pela imprensa em razão de bandalheiras reais e imaginárias de seu governo. Os dois fenômenos mostram quão relativa é a onipotência do Executivo.

Collor sofreu impeachment por corrupção fartamente comprovada, Fernando Henrique deixou alguns de seus peixes mais graúdos navegarem na água turva dos grandes interesses empresariais, Lula teve seu principal ministro condenado por causa do “mensalão” (deve-se aspear toda e qualquer palavra de um sujeito como Roberto Jefferson) e agora Dilma se vê bombardeada de todos os lados devido ao propinoduto montado via Diretoria de Abastecimento da Petrobras. Em comum a todos os casos: a grande imprensa divulga os episódios de corrupção se e quando lhe são economicamente proveitosos. Ou quando a coisa simplesmente sai do controle.

A corrupção é um rio subterrâneo que corre e infelizmente continuará correndo caudaloso, seja quem for o próximo presidente da República. E por quê? Não necessariamente porque o presidente tenha sido, seja ou será conivente com ela, mas porque tolerá-la em algum grau é pressuposto do exercício da Presidência em face de um Congresso majoritariamente negociável. Lula, antes de ser presidente, chamou a enorme banda podre do Congresso de “300 picaretas” e tinha toda razão. O problema é que, uma vez no poder, teria seu governo imobilizado se não negociasse cargos, boquinhas e ministérios com a picaretagem legitimamente eleita – mas apenas se o fenômeno eleitoral for visto sem detalhamento – pelo povo.

O eleitor à procura de um salvador da pátria – versão leiga do Messias que nunca vem – supõe, da parte do Executivo, um poder muito maior que o existente no mundo real. Justamente por isso, leva muito mais a sério votar para presidente, governador e prefeito do que para senadores, deputados e vereadores. Esse engano é fatal para a qualidade da democracia brasileira, pois seria de todo indesejável que o Executivo tivesse de fato aquele tamanho poder imaginário: o Legislativo existe também para servir-lhe de contrapeso, e em boa parte das ocasiões cumpre esse papel.

Ainda que o presidente fosse um santo ou uma santa, fatalmente acabaria por chafurdar, fosse direta ou indiretamente, na lama da corrupção. Daí porque tanto se fala numa reforma política que, como o Messias, jamais chega.

Nem PT nem PSDB são puros e desinteressados. Isso não existe na política. Qualquer voto realmente pautado pelo moralismo teria que ser nulo. Tolerar propinas na Petrobras (Dilma) é, na melhor das hipóteses, menos grave que vender a Vale do Rio Doce (Fernando Henrique) por um valor hoje equivalente ao lucro mensal da empresa. Chefiar o partido que ampliou em nível nacional (Lula) o experimento do mensalão tucano em Minas Gerais (correligionários e conterrâneos de Aécio) não é menos grave do que comprar no varejo parlamentar os votos necessários para garantir a própria reeleição (Fernando Henrique).

Voto moralista é voto hipócrita. E o moralista é, normalmente, uma pessoa muito imoral, nem que seja no plano inconsciente. Inconsciente não deveria, mas conta muito em política.

Excluído o moralismo, o que mais está em pauta na atual eleição presidencial? A agenda se reduz a dois eixos principais: inclusão (ou exclusão) social e abordagem eficiente dos problemas econômicos.

Quanto ao primeiro eixo, não adianta Aécio dizer que tem um enorme portólio a mostrar, por exemplo, na educação. Em Minas Gerais, poucos governadores foram tão odiados quanto Aécio pela classe dos professores do ensino público; que estatística maquiada é capaz de convencer o país de que a escola pública mineira é tão boa quanto diz o candidato? Além disso, quem governou o Estado nos dois mandatos de Aécio foi o secretário Antônio Anastasia, agora eleito senador. Isso é público e notório em Minas, só que a grande imprensa prefere não mostrá-lo ao restante do Brasil. Como evidencia a foto que ilustra este artigo, os veículos de comunicação submissos ao grande empresariado e aos interesses internacionais (= grandes “investidores”, na verdade grandes agiotas) estão em peso e de modo escancarado apoiando Aécio, sendo a posição de “Veja” uma afronta aberta às instituições democráticas.

O “choque de gestão” de Aécio é uma belíssima lorota, a começar pelo fato de que os dados informadores contrastam seu primeiro governo com a inépcia administrativa de Itamar Franco em Minas.

Dilma e Lula cometeram muitos erros graves, como apoiar Chávez e a monarquia cubana, mas ninguém lhes pode negar o acerto de ter melhorado a vida de dezenas de milhões de brasileiros. São esses “desinformados” que votarão esmagadoramente na “mulher do Lula”, chova ou faça sol, porque não podem negar o benefício recebido e muito menos arriscar-se a perdê-lo. O governo de Dilma errou na dose, e essa seria uma crítica equilibrada a fazer-lhe: gastou de modo pouco criterioso com os benefícios sociais, a desoneração fiscal e outras bondades. Mas aqui, ao menos parcialmente, o fim justifica os meios: a população de baixa renda pagou muito menos pela crise internacional de 2008 do que pagaria em qualquer outro governo. Isso é, pelo menos, justo. Em que época da história brasileira um governo se preocupou de verdade em melhorar a vida dos pobres?

Ocorre que, para um banqueiro – conceitualmente! –, pobre poder comprar iogurte para os filhos já é um insulto. A lógica do lucro máximo pressupõe todo o maquinismo da economia funcionando para pagar juros. Isso foi fortemente atacado por Guido Mantega, ao custo de um pouco de inflação a mais do que seria necessário. Com Dilma os juros caíram ao menor nível da História brasileira recente, então ninguém esperaria que os banqueiros amassem de paixão esse governo. Dilma colocou o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal como agentes financeiros poderosos a forçar a banca privada  a baixar as taxas de juros. O Itaú fez propaganda com Luciano Huck, contando a vantagem de tê-las reduzido, mas a isso foi obrigado por Dilma.

Entre os grandes anunciantes da imprensa brasileira, telefônicas e bancos têm muito carinho pelos governos do PSDB. A indústria automobilística deveria sentir algo parecido pelo PT, mas no mínimo não soube demonstrá-lo pressionando os jornais, as revistas e as emissoras de TV com a mesma eficácia dos empresários e “investidores” histericamente aecistas. Também o agronegócio deveria ser mais cordial com Lula e Dilma, mas, talvez por instinto demófobo (“trabalhadores”, credo!), não se demonstra muito afável com os governos que mais lhe permitiram lucrar em toda a História brasileira.

Fernando Henrique, politicamente não mais que um Sarney com doutorado, produziu taxas indecentes de desemprego e ainda teve a empáfia de chamar “inempregáveis” milhões de trabalhadores brasileiros, além de “vagabundos” aos inativos que não tiveram, como ele, o privilégio de aposentar-se precocemente. Ao contrário, o governo de Dilma termina em prática situação de pleno emprego e com o salário mínimo num valor (também exagerado) inimaginável na já distante época em que as centrais sindicais propunham elevá-lo a 100 dólares.

Aécio anuncia como seu ministro da Fazenda ninguém menos que Armínio Fraga, um dos golden boys do governo Fernando Henrique, auge da submissão (depois da ditadura militar…) do Estado brasileiro aos grandes interesses empresariais, especialmente norte-americanos. Aqui já chegamos, claro, à economia.

Sim, o Plano Real (lançado, vamos lembrar, no governo de Itamar Franco) trouxe inúmeros benefícios ao Brasil. O problema é que o PSDB, e mesmo Lula em seus primeiros quatro anos, cobrou à população mais pobre um preço muito alto pela estabilidade da moeda. Foi necessário Palocci, o sujeito menos petista que já se filiou ao PT, cair na ratoeira dos recebimentos mal explicados: aí Dilma tomou as rédeas do governo de Lula (pois este gosta mais de política do que de administrar), Mantega virou ministro da Fazenda e finalmente o país teve um governo de fato voltado para os interesses de seu povo.

Mantega/Dilma exageraram na dose pró-povo, e isso ajudou a gerar desempenhos ruins no crescimento econômico, na inflação e no superávit primário. Podemos, se quisermos, chamar isso de populismo. Armínio/FHC exageraram na dose pró-banqueiros, e isso ajudou a gerar crescimento baixo e desemprego alto, embora não tenha legado a Lula uma inflação exatamente sob controle. Podemos, se quisermos, chamar isso de entreguismo.

Quem é por Dilma nesta eleição, portanto? Além dos milhões de brasileiros beneficiados com uma saúde e uma educação menos piores, acesso ao crédito e à moradia outrora impensáveis, aqueles que, embora muito críticos às falhas do atual governo, sabem que na política somos quase sempre obrigados a escolher não o melhor, mas o menos pior.

Quem é por Aécio? Além da parte do empresariado a que o governo Dilma desagradou ou que é instinvamente anti-povo (porque anti-trabalhador), os grandes “investidores” (= agiotas) enfurecidos pela política de juros baixos e a direita simplesmente raivosa, do tipo Levi Fidélix. E não podemos esquecer o grande contingente de médicos que, conscientes do quanto a maior oferta de profissionais atinge sua divindade traduzida em rendimentos exagerados e muitas vezes e injustos, prefere tomar uísque com o Diabo a cogitar a continuidade do programa Mais Médicos.

Ah, faltou falar de Marina… Marina Silva foi desta vez, como havia sido em 2010, o truque da direita para haver segundo turno. Esvaziou-se tão facilmente porque era um factoide, assim como as tais manifestações que supostamente lhe davam substância. Injustiça de quem a relacionava perigosamente a Neca Setúbal: na verdade, Marina está mais para necas de pitibiriba.

* pauloELOÉSIO PAULO é professor da Universidade Federal de Alfenas (MG). Publicou Teatro às escuras; uma introdução ao romance de Uilcon Pereira (1998), Os 10 pecados de Paulo Coelho(2008) e Loucura e ideologia em dois romances dos anos 1970 (2014), além dos livros de poemas Primeiras palavras do mamute degelado (2000), Parque de impressões (2010) e Jornal para eremitas (2012)

Anúncios

23 comentários sobre “Quem é por Dilma, quem é por Aécio

  1. Aloésio, seu artigo exibe claramente que entre Dilma e Aécio, para o bem dos pobres a melhor opção ainda é manter a Dilma. Só é preciso varrer alguns petistas safados que se locupletam no poder. A Dilm precisa ter coragem e disposição para tanto.

  2. OLÁ ELOÉSIO, TUDO BEM?
    VC TEM PLENA RAZÃO, NINGUÉM É SANTO EM POLÍTICA E TODO PARTIDO POLÍTICO TEM COMO OBJETIVO CHEGAR AO PODER PQ ACHA QUE O SEU PROGRAMA É O MELHOR. NESSAS ELEIÇÕES (2014) É A MESMA DISPUTA POLÍTICA-ECONÔMICA E IDEOLÓGICA QUE VEM DESDE 1990, OU SEJA, A DISPUTA ENTRE PT E PSDB, ENQUANTO O PRIMEIRO PREGA UM GOVERNO DESENVOLVIMENTISTA VOLTADO PARA A AMPLIAÇÃO DO MERCADO INTERNO E DAS EXPORTAÇÕES, MELHORANDO AS CONDIÇÕES DAS EMPRESAS NACIONAIS OU INSTALADAS NO BRASIL E O SEGUNDO PREGA CLARAMENTE A SUBMISSÃO DO BRASIL AO MERCADO INTERNACIONAL. O PRIMEIRO (PT)CHEGA AO GOVERNO (NÃO AO PODER) EM 2002 E A PARTIR DESSA DATA ENFRENTA TODO TIPO DE OPOSIÇÃO, DA IMPRENSA GOLPISTA À CLASSE MÉDIA RAIVOSA.. VAI REALIZAR UM GOVERNO COM BASE EM DISTRIBUIÇÃO DE RENDA PELOS PROGRAMAS SOCIAIS, O QUE PARA ELITE É UM AFRONTA JÁ QUE ESSES PROGRAMAS TIRARAM DA MISÉRIA ABSOLUTA EM TORNO DE 32 MILHÕES PESSOAS. MAS AO MESMO TEMPO, OS BANCOS PRIVADOS E O AGRONEGÓCIO NUNCA LUCRARAM TANTO NESSE PERÍODO (2002 – 2014). AS FAMÍLIAS QUE CONTROLAM A IMPRENSA NO BRASIL (7 FAMÍLIAS) DEVEM ESTAR ARREPENDIDAS DE COLOCAR NAS CAPAS DE SUAS PUBLICAÇÕES A FIGURA DO LULA DURANTE A DÉCADA DE 80, MAS ERAM OBRIGADAS PQ O ADVERSÁRIO DELES ERA O “REGIME MILITAR” QUE JÁ NÃO ATENDIA AOS SEUS INTERESSES E O MUNDO ESTAVA MUDANDO, QUEM NÃO SE LEMBRA DA “POLÍTICA DOS DIREITOS HUMANOS” DE JIMMY CARTE?. PARA COMPLETAR, ESSE ATAQUE PESSOAL DURANTE AS CAMPANHAS ELEITORAIS VEM DESDE 1823, QUANDO D. PEDRO I, DISSOLVEU A ASSEMBLÉIA CONSTITUINTE E A ELITE NÃO TINHA PROJETO PARA O POVO, CRIOU UMA COISA QUE VEM ATÉ HOJE, OU SEJA, ATAQUES PESSOAIS A HONRA, A DIGNIDADE E TB MUITAS MAS MUITAS MENTIRAS. UM ABRAÇÃO

    • Costa era dono de um iate, um carro blindado e tinha mais de US$ 25 milhões em bancos no exterior. Mas com ele envolvido no esquema de corrupção da Petrobras, o sonho acabou recentemente e o engenheiro e ex-diretor da empresa pode perder tudo isso.
      Textos citam as denúncias de Costa envolvendo o pagamento de até 3% do valor de contratos da Petrobras para o Partido dos Trabalhadores (PT). A reportagem também destaca a denúncia mais recente, de que o ex-presidente do PSDB também recebeu propina da petroleira. “O caso tem sido um importante desafio para a presidente Dilma Rousseff”, afirma o Times, destacando que ela presidiu o conselho da Petrobras durante o período em que Costa disse que montou o esquema de corrupção e ainda escolhe quem vai comandar a empresa. Desde que assumiu a presidência do Brasil, Dilma aumentou o controle estatal na empresa.
      A corrupção impera neste Brasil!
      (http://jornalismopolitico.org/escandalo-da-petrobras-e-destaque-exterior/)

  3. Que comentários, hen?! Concordo que na politica não podem existir “santos”. Até porque a politica e a politicagem estão impregnadas de muitos “acordos” para o bem daqueles que estão no timão do barco chamado Brasil. Sou funcionário publico aposentado – trabalhei 37 anos na educação (professor e gestor educacional). Acompanho desde a decada de 60 a politica e os politicos brasileiros e, para o bem da verdade (sem puxar brasa para a sardinha de ninguem) nenhum governo fez melhor pela classe de baixa renda e os sem renda como o governo Lula e Dilma. Claro, não desconsidero os erros e corrupção no governo petista, mas, atire a primeira pedra aquele que nunca viu corrupção em nenhum momento da historia politica brasileira. Na verdade, em todos os governos, independentemente da legenda politica, foram realizadas algumas ações que beneficiaram os interesses dos dois lados: ricos e pobres. Entretanto mais burgueses do que proletários. Aecio é um bom administrador, mas fará mais pela burguesia. Enquanto Dilma continuará fazendo mais pelo proletariado, aqueles que mais necessitam viver com dignidade: saude, educação, alimentação, moradia, segurança, lazer, etc.

    PENSE NISSO!

    Prof. João Mendonça
    Especialista em gestão educacional,
    Bacharel em Filosofia, Prof. de Historia,
    Geografia, Filosofia e Sociologia. Autor de
    Liderança na Educação no Seculo XXI – Monografia

  4. Graças ao PT, quando abrimos um jornal, ou algo que nos deveria dar uma informação positiva sobre o país, só nos é apresentada uma imagem de um Brasil decadente e sem esperança, com imensa corrupção, muito violento, abandonado pela classe política, com uma inflação a tomar conta do dia a dia, sem uma infraestrutura logística necessária e suficiente, com pouco saneamento básico, com infraestruturas precárias para saúde, e um sistema educativo longe das necessidades básicas. E o pior é que constatamos diariamente que tudo isto é uma triste realidade, mas eu sempre alimento a esperança de viver em um Brasil com ordem e progresso, e é por isso que Não Voto Dilma.

  5. Graças ao PT, tenho hoje um diploma de faculdade que nunca pensei que teria, foi tudo pago, meus livros, as palestras. Se na época que eu tinha meus 20 e poucos anos, tivesse tido esta oportunidade já estaria na área da educação a quase 20 anos. Muito obrigada PT graças a vcs saí da faculdade sem dever nada a ninguém além de mim mesma, sendo a melhor profissional que eu puder ser.

  6. Pois é, concordo que a política do Guido Mantega não se compara com as sandices das taxas de juros estratosféricas do PSDB. Mas fazer voto útil no PT? Sem chance, graças a eles o Maluf se elegeu prefeito em São Paulo e continuou com a roubalheira que lhe é peculiar. O PT não tem moral para pedir voto útil, afinal eles sempre o combateram.
    Por isso, desta vez é o voto NULO.

  7. Deprimente ler isto aqui. Ainda sou do tempo em que moral valia mais que lucidez, corrigindo agora a leitora Nilda tEVES, uma professora um pouco descuidada com a língua portuguesa.
    Enfim, ideologias são sempre amadas ou odiadas, nada contra ou a favor…. desde que, exista coerência entre o discurso e a prática.
    É verdade que não existem santos na políticas, todavia teria que eximir os demônios que nela existem de qualquer culpa ou “descuido”.
    Voltando ao cerne, torno a citar coerência, que deveria ter sido o mínimo a ser praticado em doze anos de governo (ou desgoverno?) petista.
    Mudança, pelo menos para que tenhamos o benefício de comprovar quaisquer dúvidas num possível (tomara) governo Aecista.
    Ainda…. sugiro ao senhor, rever seus conceitos. Ainda… rs, Aquilo que boiou ou veio à tona da “nossa”Petrobrás, foi o resultado do governo que o senhor não teve coragem de EXPLICITAMENTE assumir.

    Sem mais!

  8. Parabéns Eloésio.

    Voto moralista é para os ingênuos que ainda acham que elegem o Presidente do Executivo e que vivemos numa democracia. Seguem a grande mídia, patrocinada pelos verdadeiros eleitores. como “perdigueiros”, .
    Não conseguem raciocinar. Só seguem os instintos.

  9. Como brasileira, professora, só pode aplaudir de pé o trabalho do Elésio Paulo. Não é a todo momento que deparo com tanta lucides. Não basta votar sem ter consciência para quem votar. Sinto orgulho de poder votar em uma MULHER LÚCIDA COMO DILMA. Se houve erros podemos reconhecer que não foram práticas de vender patrimônios de nosso Pais. Não é perda de tempo ler o texto de Elésio. É um empurrão à preço da verdade. VIDA DILMA, PARA QUE NOSSOS NETOS NÃO TENHAM VERGONHA DE NOSSOS ATOS…..

  10. Votar em Aécio é repetir exatamente o que o capital quer……… Os pobres para o capital são problemas e como diz o texto “inempregáveis” …. Sou trabalhador, não preciso de bolsa família, mas preciso de propostas que honrem o trabalhador, que olhem pelos mais necessitados. Por isso acredito que Dilma tem todas as ferramentas pra fazer a “limpeza” necessária pois conhece quem é quem e tem no DNA a luta contra o poder inescrupoloso!.

  11. DIRETO AO ASSUNTO Q A COISA É URGENTE – DILMA ATACOU JRS E APARECERAM BLACKS B, DENUNCIA DE ADVOGADO DIZ Q ERAM FINANCIADOS EM TUDO P GENTE MT RICA, MAS NADA SE INVESTIGOU E FICOU P ISSO, DILMA FALA DESIQUILIBRADAMENTE E PAGA ALTO PREÇO P ISSO, PT GOSTA DE PUXA SACOS E OUTRAS COISAS ENGRAÇADINHAS DA MODA E PAGA CARO P Ñ SABER ESCOLHER E ORIENTAR AUXILIARES, BURRICE TB PODE DAR CADEIA, AÉCIO PODE VENDER A CEF, SMJ, O PRINCIPAL ALVO DOS TUCANOS SEM VERGONHA, E O PIOR BEM FALADO E MAL ENTENDIDO, É Q OS LADRÓES DELES ELES CONSEGUIRAM ENGAVETAR, ASSIM FORTALECERAM-SE E ESTÃO TODOS DE NOVO NO PODER, E OS PTONTOS SEM APRENDER A LIÇÃO PERMITIRAM DESNECESSARIAMENTE AGRESSÃO A ALIADOS E PAGAM ALTO PREÇO P ANALFABETOS Q Ñ LÊEM DIREITO O JORNALISMO MELHOR Q MOSTRA O MENSALÃO E OUTRAS PRÁTICAS INICIADAS LÁ ANTES DO PT, AS CONVERSINHAS EXXXXPERTAS DE COTECO DERAM NISSO, INCLUSIVE CHAMAR PROFISSIONAIS DE ALTO ESCALÃO Q COMPETEM C O PRIMEIRO MUNDO DE SANGUE AZUL, PROMETENDO ARROCHO EM TORNO DOS TRÊS OU MENOS SALÁRIOS MÍNIMOS, O Q É ALTA TRAIÇÃO Q OS SANGUE AZUIS Ñ ESQUECEM – TRÊS ANOS QUINZE POR CENTO, C JUÍZES GANHANDO BEM MAIS PEDINDO MAIS DE VINTE NUM MM ANO, E CONDENANDO SINDICALISTAS Q SE REBELAM C MENOS Q ELES. judiciário sem controle externo-vivendo em plena monarquia absoluta, c toda a medievalidade européia da inquisição, direito a togas e gravatas inúteis e caras p a enorme estatística cinzenta da demanda reprimida. ESPERO Q O PT E ALIADOS APRENDAM A OUVIR, FALANDO MENOS, POIS A BÍBLIA ENSINA BEM – TEMOS DOIS OUVIDOS E APENAS UMA BOCA E OS PETISTAS E ALIADOS QUEREM MONOPOLIZAR MICROFONES E PODER BURRAMENTE. EM DEFESA DA CEF, EMPREGOS REMUNERADOS NO PADRÃO DOS MELHORES COMPETIDORES INTERNACIONAIS, ZERO DE DESEMPREGO, FUSÃO POSSÍVEL AGORA C EXEGESE CORRETA DA SEGURANÇA PÚBLICA, Q HJ ABRIGA ENORME CONTINGENTE DE VADIOS E MALANDROS EM POSTOS CHAVES, O Q VEM DESMORALIZANDO A SEGURANÇA, ONDE O RJ MOSTRA ATÉ O ESTADO MAIOR COMPROMETIDO, JUSTO ONDE HÁ UMA DAS MAIORES CONCENTRAÇÕES DE TROPAS FEDERAIS. O PROFISSIONAL DE SEGURANÇA TEM FAZER POLÍTICA TRABALHANDO BEM E SE CANIDIDATANDO INTELIGENTEMENTE, ONDE S INTELIGÊNCIA DEVE SABER ARTICULAR-SE P O SUCESSO LIMPO E HONESTO, JAMAIS ABUSANDO DO POVO MAIS HUMILDE E INFILTRANDO MENTIRAS E OUTRAS BOBAGENS SEM ÉTICA E Q S Ó PIORAM A IMAGEM DO MILITAR DIANTE DA OPINIÃO PÚBLICA. q os MELHORES PERDOEM O RECADO, MAS LEALDADE Ñ É SER PUXA SACO C ETÍLICOS REPETITÓRIOS, MAS DEBATER EM AMBIENTES DA INTELIGÊNCIA, Q HJ Ñ EXISTEM, NUM ELITISMO MONÁRQUICO ESCRAVOCRATA Q OS TORNA CLASSISTAS E ESTRANHOS A CADA DIA DAS MASSAS SOFRIDAS – VEJA-SE AS RECENTES ATITUDES DE PRESIDIÁRIOS E BANDIDOS CONTRA A FORÇA PÚBLICA. EM SUMA ESPERO Q O PT DEPOIS DESTA REFREGA DURA APRENDA A SER MAIS INTELIGENTE, A COMEÇAR P OUVIR MAIS E MELHOR AS BASES SINDICAIS E PARTIDÁRIAS ALIADAS, EM CONVERSAR SEM ETÍLICOS, C MAIS SUCO DE LARANJA E ASSEMELHADOS, ACOMEÇAR DE JÁ, E PROTEJAM A CEF, ENPREGOS E SALÁRIOS, Q SABEMOS BEM COMO OS MAURICINHOS ARMINIOS DA VIDA CUIDAM AINDA C POSTURA DE FEITORES DO PASSADO E GRIFE-SE BEM OS BANDIDOS Ñ PRESOS Q HJ ESTÃO AI JÁ NO PODER ELEITOS, O Q FICOU POUCO CLARO. A FALAÇÃO NÃO DEUNOMES NEM DOCUMENTOS. igualmente os casos de nepotismos, não deu nomes nem locais de trabalho, ficando umaheroina p falta de melhor esclarecimento. REPETIR BOBAGENS SÓ IRRITA O POVO- É PRECISO A CADA DIA SER MELHOR E MAIS CLARO OU VÃO DAR C OS BURROS NAGUA. A LUTA CONTINUA EM DEFESA DA CEF E POLÍTICAS PÚBLICAS REPUBLICANAS DEMOCRÁTICAS, ABAIXO O MONARQUISMO ESCRAVOCRATA DO PSDB E SEUS APANIGUADOS SEM VERGONHA.PAZ

  12. ELOÉSIO PAULO, o seu artigo é nitidamente campanha pela Dilma!

    Pelo descalabro econômico e social deixado pela Dilma, meu voto é anti-Dilma, isto é, não voto Dilma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s