Esaú e Jacó: Machado de Assis retrata esteticamente a transição da Monarquia para a República

CARLOS RUSSO JR.* Esaú e Jacó, escrito em 1904, é uma das últimas e mais importantes obras de Machado de Assis. Ele nunca deixou de tratar as questões de cunho político-social de forma profunda e ironicamente mordaz, é nessa narrativa, entretanto, que o Bruxo do Cosme Velho vai fundo na crítica à conformação política do … Continue lendo Esaú e Jacó: Machado de Assis retrata esteticamente a transição da Monarquia para a República

Reforma Trabalhista e Imposto Sindical: uma reflexão econômica e histórica

HENRIQUE WELLEN*   No início de 2013, a partir de conversas entre representantes de centrais sindicais e de funcionários do governo, foram criadas e legisladas novas regras para a constituição de novos sindicatos, assim como para a vigência dos já existentes. Conforme foi veiculado no Ministério do Trabalho, o objetivo central dessas novas regras voltou-se … Continue lendo Reforma Trabalhista e Imposto Sindical: uma reflexão econômica e histórica

Racismo e ciência no Brasil pós-abolição (1888-1930) – Miscigenação e racismo: o branqueamento (3)

AUGUSTO C. BUONICORE ***   O racismo brasileiro sempre foi eclético. Existiam duas grandes correntes que, muitas vezes, se intercruzavam. A primeira, racista-segregacionista, condenava toda e qualquer ideia de miscigenação racial. Essa, em geral, conduzia a uma visão pessimista sobre o futuro do Brasil. A segunda apostava suas fichas no processo de miscigenação, visando a … Continue lendo Racismo e ciência no Brasil pós-abolição (1888-1930) – Miscigenação e racismo: o branqueamento (3)

Racismo e ciência no Brasil pós-abolição (1888-1930) – Oliveira Vianna: o racismo decadente (2)

AUGUSTO C. BUONICORE *** Oliveira Vianna (1883-1951) foi professor da faculdade de direito do Rio de Janeiro e, em 1920, iniciou a publicação do seu primeiro e mais importante trabalho Populações Meridionais do Brasil. Logo em seguida elaborou o ensaio de apresentação do censo oficial de 1920, Evolução do Povo Brasileiro. Estas duas obras o … Continue lendo Racismo e ciência no Brasil pós-abolição (1888-1930) – Oliveira Vianna: o racismo decadente (2)

Racismo e ciência no Brasil pós-abolição (1888-1930) – Nina Rodrigues: o negro como marginal (1)

AUGUSTO C. BUONICORE *** As ideias pseudocientíficas predominantes na Europa na segunda metade do século XIX influenciaram fortemente a intelectualidade brasileira até a década de 1930. As ideologias racistas, transvestidas de ciência, serviram para justificar as restrições à cidadania da grande maioria do nosso povo, composta de pessoas não-brancas, e buscaram transformar aquilo que seria … Continue lendo Racismo e ciência no Brasil pós-abolição (1888-1930) – Nina Rodrigues: o negro como marginal (1)