Deus nos livre dos seus seguidores!

ANTONIO OZAÍ DA SILVA*

Outro dia, caminhava pelo centro da cidade e, de longe, ouvi um som anunciando um evento de lançamento de um CD de uma cantora evangélica. Logo o comboio me alcançou. O som do caminhão era potente, as pessoas gritavam, os carros que acompanhavam a caravana buzinavam. O barulho era tamanho que não suportei, tapei os ouvidos. O meu gesto chamou atenção dos que estavam sobre a carroceria do veículo, jovens em maioria. O locutor anunciava o evento, dava detalhes, prometia que haveria doação de sangue e exames de diabete. Da forma como falava, não estava claro se iriam distribuir o liquido vital ou se os que atendessem ao chamado seriam convidados a doar sangue. Mas a lógica me dizia que a segunda alternativa era a mais provável. O discurso era repleto de slogans religiosos. Ele enfatizava que a vitória seria do Senhor e passava a relacionar as empresas, lojas, etc. que patrocinavam e apoiavam. Fiquei em dúvida se Deus anda em boas companhias. Porém, em meio a toda a algazarra, o que me chamou mais a atenção foram os dizeres em letras garrafais no ônibus que seguia o cortejo: “Operação Resgate para salvar as almas”, ou algo assim.

O nosso general é Cristo.
Combatei o bom combate
Consagrados a lutar e são vencedores
Muralhas serão derrubadas na vida dos que crêem no poder de Deus
Jesus liberta-o em sua sexualidade.

Lembrei-me deste episódio ao assistir ao documentário “Lord, Save Us from Your Followers” (Deus nos livre dos seus seguidores) dirigido por Dan Merchant (EUA, 2008, 100 min.). Mudam os contextos culturais, políticos e econômicos, mas permanecem os mesmos aspectos inerentes ao fanatismo religioso que alimentam intolerâncias. Não duvido das boas intenções dos que gritam slogans, mas esta é a lógica dos que se consideram puros, candidatos à santidade num oceano de pecadores, e dispostos a combater tudo o que não se encaixa no ideal de pureza que defendem.

Quem combate, e se vê como soldado de uma causa, elege inimigos e declara a guerra. É a mesma lógica da retórica de Becky Fischer, a pastora “pedagoga” do documentário “Jesus Camp” (O acampamento de Jesus). [1] E quem são os inimigos? Ora, os de sempre: gays, lésbicas, feministas, ateus e hereges. No passado, todos seriam lançados às fogueiras da “santa inquisição” medieval. Os inquisidores modernos são mais sutis, utilizam de meios mediáticos e métodos políticos que pressupõe alianças como o poder secular. O exemplo é a santa aliança entre o conservadorismo religioso e o ex-presidente G. W. Bush nos EUA. Aliás, nisto não há novidade. Também os inquisidores da idade das trevas aliavam-se e se utilizavam do braço secular, o qual cumpria o triste papel de executar as sentenças emitidas pelo Santo Ofício.

O documentário de Dan Merchant mostra o paradoxo de uma religião fundada no amor ao próximo, cujos adeptos vêem-se como um exército em guerra contra os que deveriam amar. Os inimigos devem ser derrotados, aniquilados. A depender dos arautos do reino de Cristo, não há espaço para os impuros. Para eles a sexualidade é uma doença a ser curada; o ser humano que não atende ao perfil de “sexualidade sadia” é abominável e não merece ser amado.

Dan Merchant é um cristão que se recusa a nutrir esta concepção religiosa intolerante. Seu documentário explicita a guerra do “exército de Cristo” contra a cultura, opções e modos de vida dos indivíduos e grupos que não aceitam as verdades absolutas dos fanáticos da fé. Ele entrevista pessoas na rua, conversa com autoridades e com os diretamente atingidos pela intolerância religiosa. Num “confessionário” improvisado, num evento do Orgulho Gay, ele sinceramente se arrepende e pede perdão pela forma como a religião trata os gays, lésbica e etc. São cenas que emocionam!

Sua mensagem é de amor, e este é o ponto forte do documentário. Ele resgata o fundamento da religião de Cristo:

“Um dos escribas que ouviram a discussão, reconhecendo que respondera muito bem, perguntou-lhe: “Qual é o primeiro de todos os mandamentos?” Jesus respondeu: “O primeiro é : Ouve, ó Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor, e amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma, de todo teu entendimento, e com toda a tua força. O segundo é este: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não existe outro mandamento maior do que este” (Marcos 12, 28-31). [2]

Os que intentam realizar novas cruzadas mostram-se incapazes de obedecer ao segundo mandamento. Em lugar do amor, instigam o ódio e desprezo pelo próximo, num rastro de intolerância. E ainda se vangloriam de combater o bom combate, pois se convencem de que o outro é o inimigo. A operação mental que permite esta incoerência consiste na demonização do outro. Os aparentemente mais lúcidos afirmam que não combatem o individuo, a pessoa, mas a atitude. Como se fosse possível, por exemplo, separar a homossexualidade do corpo e alma que a assume. Não se trata de abstrações teológicas ou filosóficas, mas de seres humanos. No fundo, agem como hipócritas.

A bem da verdade, é muito difícil amar o próximo. Será possível amar a Deus sobre todas as coisas sem amar o próximo? Não é preciso ser crédulo para observar o mandamento de amar ao próximo como a si mesmo. Parece que também não é necessário levar em conta o segundo mandamento, desde que se afirme a fé e se obedeça ao primeiro. Como vemos, é mais difícil ainda obedecer coerentemente aos mandamentos de Jesus.

Dan Merchant sensibiliza com as cenas em que se manifestam o amor ao próximo e o resgate da coerência desta atitude com a crença e o amor a Deus. A julgar por sua mensagem, o amor supera tudo, resolve todos os problemas. Ele tem o mérito de estimular a reflexão e mostrar a incoerência dos que se apresentam como os “soldados de Cristo”, os que “combatem o bom combate”. No entanto, não se trata apenas de um conflito religioso e cultural, a ser superado pelo ideal do amor. O amor é importante, mas é necessário perguntar-se sobre as raízes e os fatores econômicos, sociais e políticos da intolerância.

Ficha Técnica
Título:
Lord, Save Us from Your Followers
Diretor: Dan Merchant
Gênero: Documentário
País: EUA
Ano:
2008
Duração:
100 min.


* ANTONIO OZAÍ DA SILVA é Doutor em Educação (USP) e professor do Departamento de Ciências Sociais, Universidade Estadual de Maringá. Blog: http://antoniozai.wordpress.com

[2] Bíblia de Jerusalém – Nova edição, revista e ampliada. São Paulo: Paulus, 2010.

Anúncios

6 comentários sobre “Deus nos livre dos seus seguidores!

  1. Exageros à parte, a verdade é que o Cristianismo foi deturpado ao longo da história.
    Não poderia ser diferente em se tratando do ser humano, que não consegue admitir para si uma linha de coerência política, social e religiosa, a não ser quando lhe convém.
    Os neo-pentecostais descobriram um filão de ouro com a maior parte do brasileiro sem rumo, sem orientação, carente de palavras de conforto, e levaram a estas pessoas o Evangelho de Cristo mediante suas interpretações, ênfase no dízimo, lógico, mas a esperança de uma vida melhor além dessa, se o ser humano cumprir com as determinações do seu “pastor”, do seu guia espiritual.
    Com base em testemunhos de crentes que alegam ter mudado de vida DEPOIS que ofereciam seus óbulos em quantias maiores que somente (!) os 10%, uma prova de fé que Deus tinha um plano de realizações para cada que cresse com fé nas suas palavras, tais variantes do Protestantismo começou a crescer no Brasil de forma consistente, sendo a sua doutrina baseada no progresso material de seus seguidores na medida que estes demonstrarem que acreditam piamente na palavra de Deus vinda do pastor, dos bispos, da igreja.
    Se é correto ou não não vem ao caso. Penso que o âmago da questão não seria a crítica pelo comportamento dos crentes e suas doações à igreja, mas a NOSSA DESCRENÇA OU INCAPACIDADE DE FAZER O MESMO QUE ELES FAZEM LOUVANDO A DEUS!
    Nós os chamamos de fanáticos, ignorantes, pobres coitados que se deixam enganar por gente mais esperta, enfim, já os rotulamos como uma espécie de subgente, pessoas inferiores que se deixam levar facilmente pelo medo do castigo eterno, que não possuem estudos!
    No entanto, “nós”, que não somos como eles, que “sabemos” que religião não é desta forma como eles pregam, que se trata de uma armadilha para prender incautos e incultos através de uma fé elaborada e não autêntica porque estipula uma troca do dinheiro que se tem por uma vida melhor, COMETEMOS DESLIZES MUITO MAIORES AO ACREDITARMOS EM políticos!!!
    O que eles fazem conosco é pior que os pastores e bispos, pois nos cobram os olhos da cara em impostos; nos arrancam a pele através da carga tributária maior do mundo; PAGAMOS os melhores salários do planeta para nossos parlamentares QUE NÃO FAZEM ABSOLUTAMENTE NADA e nem sequer rezam um Pai Nosso; os políticos ainda por cima nos roubam, corrompem-se, firmam alianças espúrias, esbanjam o nosso dinheiro irresponsavelmente e, nos dias de hoje, MATAM parte da nossa população que fica à espera de um atendimento médico, de uma ficha para especialista do mal que está padecendo, as aposentadorias são um escárnio às necessidades de quem depende exclusivamente de suas minguadas pensões, NOSSOS JOVENS ESTÃO SENDO ASSASSINADOS ABERTAMENTE PELAS DROGAS QUE NÃO SÃO ENFRENTADAS PELO GOVERNO COMO DEVERIA, o contrabando de armas não sofre qualquer admoestação, o Brasil está diante de uma violência indescritível com DEZENAS DE MORTOS A CADA FIM DE SEMANA, nossas estradas e motoristas criminosos ceifam a vida de mais de QUARENTA MIL PESSOAS POR ANO, mais do que qualquer guerra hoje existente, mas ainda leio pessoas escreverem que os cristãos foram os maiores assassinos da história!!!
    Meu Deus, que deficiência aritmética!
    Por outro lado, de que nos adianta resgatarmos um passado de mil, oitocentos ou trezentos anos atrás, se o nosso problema no presente é infinitamemnte maior que aquele tempo?
    De que nos adiante criticarmos veementemente os neo-pentecostais, que estão cantando, fazendo o seu barulho sadio, QUE NÃO ESTÃO ROUBANDO E NEM MATANDO COMO NOSSOS POLÍTICOS BANDIDOS, se deixamos correr solta a bandalheira onde tínhamos de fiscalizar o comportamento dos ditos “representantes populares”?!
    Vejo uma incoerência absurda, imensurável, com relação ao verdadeiro mal que nos aflige que não reside nos cristãos ou protestantes, mas nos nossos parlamentares, e deles admitimos pacifica e ordeiramente que possam fazer o que quiserem conosco!
    Covardia?
    Alienação?
    Ou enquanto eu não for perturbado o problema não é meu?
    Quem dera que saíssemos às ruas e gritássemos a plenos pulmões a canalhice de nossos políticos, seus crimes, roubos, fisiologismos, corrupção, mas ficamos bem quietos, e ainda votamos em partidos e homens que elaboraram o maior golpe contra o povo e País às suas manutenções no poder, o famigerado e deporável mensalão!!!
    Deste não é para falar ou comentar?!
    Este crime não foi prejudidical ao Brasil em proporções infinitamente maiores que os evangélicos que nos “perturbam” com seus cânticos e passeatas?!
    Respeitosamente, penso que somos muito piores do que eles, pois os verdadeiros ignorantes e medrosos somos nós que sequer abrimos a boca para reclamar dos ladrões que infestam o Congresso Nacional e EM NOSSO NOME!!!
    Concluo, ilustrando o que quero alertar com o seguinte dado:
    Sabemos que nossos senadores ganham QUINZE SALÁRIOS ANUAIS!
    Igualmente temos conhecimento que ELES NÃO PAGAM IMPOSTO DE RENDA SOBRE SEUS 14º E 15º salários!
    Fernando Collor, que continua tendo seus rompantes e chiliques no Senado, ano passado, em 2011, GASTOU DO ERÁRIO PÚBLICO, a quantia de R$ 398.083,00 em DESPESAS PESSOAIS, afora seus quinze salários!!!
    Ou seja, o senador Collor, gastou por mês (considerando dez meses de “trabalho” porque eles têm dois meses de recesso no ano), mais de R$ 39.800,00 mensais!
    Levando em conta que só comparecem em plenário três dias por semana, isso quando vão “trabalhar”, o senador gastou por dia R$ 3.317,00 em DESPESAS PESSOAIS afora seus quinze salariorizinhos sem Imposto de renda!
    Se eu somar os proventos às despesas, o nervoso senador percebe diariamente a fantástica e inacreditável soma de R$ 6.500,00 !!!
    E são os crentes que nos incomodam??!!

  2. Como dizem que estamos entrando numa nova Idade Média, faz sentido que esse besteirol religioso reapareça. É uma nova forma de fascismo, com intolerâncias, perseguições e discriminações. E, muito provavelmente, com financiamento externo.

    Nada disso deve nos surpreender, pois os cristão são os maiores assassinos da História e vem se matando há seculos, bem como aos seguidores de outras religiões. Apedrejamentos, condenações à morte na fogueira, os próprios cristãos brigando por questões ridículas, como a de se jesus tinha uma natureza humana e uma divina ou só divina, discussões por ocasião da tradução da Bíblia para o grego, em que acusaram os judeus de deturpações,

    Lutero e Calvino condenaram Copérnico, que aventou a hipótese heliocêntrica, com base na Bíblia que, obviamente estava errada (hoje já alteraram o texto, como já alteraram a parte em que dizia que o nosso planeta “tinha seis partes de terra e uma de água”). Os cristãos ridicularizaram a idéia dos antípodas.

    Os cristãos inventaram os mais crueis instrumentos de tortura, o Banco Ambrosiano do Vaticano lavava o dinheiro da máfia, na Noite de São Bartolomeu mataram milhares de protestantes. Será que o Cristo, vendo as ações dos seus seguidores, iria se considerar cristão? Certamente que não.

    A Igreja Católica já pediu perdão à Galileu. Em breve vão pedir perdão à Darwin, pois não é mais crível que em pleno século XXI acreditem em Histórias da Carochinha, como a de Adão e Eva.

    Na Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro, tem um exemplar da primeira Bíblia impressa no mundo, a Bíblia de Mogúncia. Olha, é muito diferente das Bíblias de hoje. A Bíblia, de tanto que já foi mexida, alterada, deturpada, parece mais a “casa da mão Joana”.

    É possível acreditar em Deus sem ser ignorante e anti-científico.

    Fred de Sanctis

  3. Deus abomina o pecado, mas ama o pecador, o cristão por amar ao próximo ele procura libertá-lo de uma situação que o afasta de Deus porque Deus não convive com o pecado no caso Deus criou todos os seres humanos homem e mulher, macho e fêmea. Esta é a lei da natureza da criação de Deus, existe uma razão para as coisas serem como são, só que alguns por ação de demônios blasfemam contra Deus O ignorando por não temê-LO e fazem isto com seus próprios corpos. LEIA NA BÍBLIA O LIVRO DE ROMANOS CAP. 1 V. 18 AO 32 .SE É QUE VOCÊ É TEMENTE Á DEUS E O AMA ACIMA DE TODAS AS COISAS; LEIA TAMBÉM O LIVRO DE GÁLATAS CAP. 5 V. 16 AO 25. QUE DEUS O ABENÇOE E O LIVRE DA CORRUPÇÃO DO PECADO.JESUS TE AMA.

  4. Como todo o mundo, ao abrir a caixa de correio, vou tentando eliminar o maior numero possivel de mensagens, para poder ler algumas, ja que nao tenho 24h so para ler todo o correio que chega.
    Ao abrir seu blog, ia dar uma olhada rapida para passar a outra coisa, mas, como sempre, o seu texto prende a atençao e faz refletir a partir de imagens vivas e de uma apaixonante dinâmica entre atores sociais aos quais você da rostos e vozes.
    Quanto ao assunto do dia, acrescentaria apenas que com tanto exército divino se organizando por ai’, cada um com uma bandeira diferente, um dia destes estoura mais uma guerra santa para eliminar os excessos da procriaçao humana…. Ou sera que ja começou? Quando se lembra a linguagem do primata Bush, por exemplo!….
    Um bom dia para você.

  5. Onde consigo esse filme? Gostaria de passá-lo em minha escola nas aulas de religião para provocar o debate.

    Obrigado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s