Discutindo o ressentimento como potencializador da nova direita

CAMILA CAROLINA H. GALETTI* JÉSSICA MAYARA DE MELO CARVALHO**   O sentimento de ódio esteve atrelado aos debates, discussões, ações políticas durante o processo de impeachment de Dilma Vana Rousseff (PT), a 36ª Presidente do Brasil, em maio de 2016. Pode-se afirmar que foi o ódio que potencializou em uma boa parte da população o … Continue lendo Discutindo o ressentimento como potencializador da nova direita

Entre “não mais” e “ainda não”: sepultaram a política e o espírito, só resta a carne

LAURA HENRIQUE CORRÊA* “Natureza da gente não cabe em certeza nenhuma”João Guimarães Rosa Fonte: Marina Abramovic. Balkan Baroque. 1997. https://www.youtube.com/watch?v=UQigTZuTmv0 Tudo estava a seco. O tempo parecia cruel. A terra batida tinha sido morta e o assombro de uma máscara havia espantado a alegria dos sorrisos. Por vezes, quando um coração humano é arrancado, o … Continue lendo Entre “não mais” e “ainda não”: sepultaram a política e o espírito, só resta a carne

A insustentável mortalidade humana

ELISA ZWICK * Painel artístico de Kani Alavi na East Side Gallery, Berlim. A condição de ser humano escancara suas vísceras. Assim ressurge o óbvio: o homo tecno-economicus, esta máxima evolução a que o hominídeo pensante alcançou é, concomitantemente, homo mortalis! A força da natureza se sobrepõe a qualquer outra, recordando-nos de toda fragilidade da vida … Continue lendo A insustentável mortalidade humana

A sombra do apocalipse projeta-se nas cidades

JOÃO SETTE WHITAKER FERREIRA* A estas alturas, fica escancarado que o modelo econômico do capitalismo global das últimas décadas, semelhante a um frágil castelo de cartas, uma pirâmide de endividamento geral com dinheiro virtual, altíssima concentração da renda e canalização maciça de dinheiro público para o setor privado, não é capaz de sustentar um evento … Continue lendo A sombra do apocalipse projeta-se nas cidades

Não perdoarei

MARCELO GRUMAN* Para mim, era inadmissível. Era inadmissível que um clube judaico abrisse voluntariamente, em nome da “liberdade de expressão”, suas portas a um candidato postulante ao mais alto cargo do poder executivo da República que sempre se orgulhou em demonstrar publicamente seu desprezo pela democracia, que homenageou, na tribuna da Câmara dos Deputados, um … Continue lendo Não perdoarei

Pisa e Paraisópolis: vitrines da surda guerra de classes no Brasil

MÁRIO MAESTRI* “Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste! Criança! não verás nenhum país como este! Boa terra! jamais negou a quem trabalha. O pão que mata a fome, o teto que agasalha… Quem com o seu suor a fecunda e umedece, Vê pago o seu esforço, e é feliz, e enriquece! … Continue lendo Pisa e Paraisópolis: vitrines da surda guerra de classes no Brasil

O “olhar branco”

MARCELO TRAGTENBERG* Nos melhores postos da sociedade estão os brancos. Os negros estão nos piores e são, muitas vezes, ligados a crimes "Claro que todas as pessoas brancas são racistas" é o título instigante de um artigo do jornal inglês "The Guardian" de 3/7/02, em que o autor mostra como se constrói desde cedo um … Continue lendo O “olhar branco”